“We are like roses that have never bothered to bloom when we should have bloomed and it is as if the sun has become disgusted with waiting”.

15
Set 13

 

Sabes que ferro e despedaço a qualquer momento, quando estiveres descansado a beber das águas plácidas e serenas que correm por aqui, estraçalhar-te-ei a garganta de um trago por ter sede também: brinco.

Saudades minhas?

Eu tinha, e muitas, sinto-me bem hoje e sentir-me bem é sentir as costelas, os nós dos dedos, esticar as pernas, desnudar a cintura e contorná-la, em suma é ter meneios e delicadezas de carniceiro por roupas finas.

Mãos rugosas, sim mãos rugosas a contarem-me as costelas é bom, acalmia e vai buscar a faca e beija-me.

Que fome tenho, que vontades aguçadas e desejos acres se me desaguam destas unhas rosadas.

Ia falar de Black Sabbath e o quanto gosto da simplicidade do finado Dio à circense efígie: Ozzy, talvez concluir com as minhas preferências quanto ao novo dos meus NIN mas olha quem chegou a casa de uma viagem de mochila às costas para fodas e noitadas em carpetes alheias?

Quando aquela voz daninha bate, eu só tenho é de abrir e morder-lhe as bochechas.

publicado por Ligeia Noire às 11:32
etiquetas: ,

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


mais sobre mim
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29
30


Fotos
pesquisar
 
arquivos
subscrever feeds