“We are like roses that have never bothered to bloom when we should have bloomed and it is as if the sun has become disgusted with waiting”.

18
Abr 08


Foda-se gosto tanto…

Dói-me o peito, a alma…

Os olhos ardem.

Cada dia que anoitece perco mais um pouco de ti.

Cada dia que passa, anoitece mais um pouco.


Morro.


Tudo embate nas minhas costas.

Tudo cai aos meus pés.

Aprisionei-me.

Levaste a chave, levaste o segredo...

Foi impossível aguentar porque não sei como se finge para ti.

Porque sou frágil e quebrável aos teus olhos.

Crê que cada uma destas pequenas palavras aqui cravadas hoje são pedaços da minha carne e o sangue ainda me escorre do peito.

 

publicado por Ligeia Noire às 11:54

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


mais sobre mim
Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Fotos
pesquisar
 
arquivos
subscrever feeds